Carmen Dolores

Carmen Dolores (1924-2021) revelar-se-ia, aos 14 anos, no microfone da Rádio Sonora, do senhor Lacombe Neves, a funcionar na rua Morais Soares, em Lisboa. Nas suas memórias, publicadas em 1984, ela recordou assim: “os postos de amadores pediam colaboração. Qualquer pessoa podia apresentar o seu programa e tentar a sorte como intérprete, cantando, tocando, declamando, representando”. O seu irmão apresentara um projeto de recital quinzenal, com números de canto, recitação, piano e pequenos diálogos. Ele tinha uma boa voz de tenor, a sua mulher tocava solos de música clássica ao piano, a futura grande atriz “recitava versos aprendidos na Seleta”. E os três

interpretavam diálogos.

Na rádio daquele tempo, havia ainda “os concursos, o ir a correr ao telefone para ser o primeiro a responder, penso que o único prémio era dizer os nossos nomes, o que já era uma honra! Ao domingo, a grande emoção: as emissões infantis do Tic-Tac e do Senhor Doutor, os dois jornais infantis em voga. O tio Luís, o Castelo, o Cosme, o Jorge Alves, a Mimi Extremadouro, a Milu”.


Autor: Rogério Santos, 2021.

#carmendolores #biografia


Texto original, com imagens, em https://radio.hypotheses.org/4138.

Posts recentes

Ver tudo

O padre José Silveira de Ávila (1895-1977) é uma das figuras marcantes da rádio portuguesa. No recorte de notícia (Diário de Lisboa, 8 de junho de 1939), vemo-lo como homem ligado à Mocidade Portugues

Inaugurado à pressa, em 1954, devido à ofensiva indiana sobre os territórios portugueses, o Centro Emissor Ultramarino da Emissora Nacional, situado em Pegões, dentro do perímetro do Montijo e a trint

De nome completo Armando Leonel Augusto Matos Cosme (1934- 2021), era uma das figuras mais importantes da rádio angolana no tempo colonial. Natural de Guimarães, foi com a mãe e irmãos para Angola em