Rádio Clube de Angola

Rádio Clube de Angola, Emissora Oficial de Angola (rádio de Estado) e Rádio Ecclesia – Emissora Católica foram as principais estações que emitiam de uma Luanda moderna e de cultura popular e musical vibrante. O período de 1966 a 1974 foi de permanente crescimento da rádio angolana, a ressaltar a vertente comercial lucrativa e aliada às indústrias da publicidade e da produção discográfica. Rádio Clube de Angola começou a emitir oficialmente desde fevereiro de 1938 com a divisa “onda popular de Angola”, hino da estação a abrir e fechar as emissões, antes do hino nacional, e emissor inicial de 100 watts. Em 1946, a estação tinha programas musicais, variedades, teatro radiofónico, notícias, discos pedidos, programa infantil, sinal horário e publicidade. Até ao surgimento da Emissora Oficial de Angola, aquela estação teve a função de rádio oficiosa, com leitura de comunicados do governo, discursos e avisos obrigatórios. No fim da década de 1960, emitia das 7:30 à 1:00, em ondas médias, ondas curtas e FM. Rádio Clube de Angola, para além de sócios, venda de tempo de antena a produtores independentes e publicidade, cedia o jardim para eventos e festas, com boas instalações situadas perto do liceu Salvador Correia e do antigo campo do Benfica. Conchinha de Mascarenhas, uma das locutoras mais populares, começou em Rádio Clube de Angola, mas sairia para a Emissora Oficial de Angola.

A rádio oficial principiou a trabalhar em 1951 ainda em moldes modestos. De modo provisório, a estação contou com emissor de 100 kW alugado à Rádio Marconi e usou estúdios de Rádio Clube de Angola. Ao fim de dois anos, a emissão passou a diária, altura em que também se admitiu pessoal, adquiriu discos e pagou a colaboradores literários, culturais e artísticos. A ideologia imperial aparecia pela orientação do governador-geral da colónia. A música tocada na Emissora Oficial de Angola era ocidental, europeia e americana, visando um público predominantemente português, de brancos e mestiços (assimilados).

Além da produção própria, houve intercâmbio com a Emissora Nacional em noticiários, programas e atualidades, concertos de música clássica, desporto (e com relatos de hóquei em patins e basquetebol locais). Em 1971, a estação inaugurava um magnífico edifício, que só posso comparar ao de Rádio Clube de Moçambique no tempo colonial.


Autor: Rogério Santos, 2021.

#radioclubedeangola #angola #biografia


Texto original, com imagens, em https://radio.hypotheses.org/4069.


Posts recentes

Ver tudo

O padre José Silveira de Ávila (1895-1977) é uma das figuras marcantes da rádio portuguesa. No recorte de notícia (Diário de Lisboa, 8 de junho de 1939), vemo-lo como homem ligado à Mocidade Portugues

Inaugurado à pressa, em 1954, devido à ofensiva indiana sobre os territórios portugueses, o Centro Emissor Ultramarino da Emissora Nacional, situado em Pegões, dentro do perímetro do Montijo e a trint

De nome completo Armando Leonel Augusto Matos Cosme (1934- 2021), era uma das figuras mais importantes da rádio angolana no tempo colonial. Natural de Guimarães, foi com a mãe e irmãos para Angola em